A sério que sim
16.6.13

Num momento de azar, passei pela SIC-Notícias quando o jornalista/propagandista de serviço entoava loas à manifestação dos professores.

 

É sempre interessante comparar aquilo que se vê presencialmente com aquilo que é anunciado nas televisões, algo que pude fazer ontem.

 

O jornalista exultava com os muitos milhares de pessoas que se manifestavam; não o ouvi comentar que muitos daqueles manifestantes eram menores, certamente trazidos por professores e organizadores para compor a fotografia, e cujo móbil não seria o "ataque à escola pública" - mas ir lambiscando o gelado.

 

O serviço noticioso(?) também mostrava uma professora que teria vindo de bicicleta (não me recordo de onde) para se manifestar. Aqui estava, parecia dizer a SIC-N, a prova do descontentamento de uma classe. As câmaras televisivas conseguiram ver uma professora de bicicleta; o que as câmaras não conseguiram ver, e eu vi, foi o cortejo de oito autocarros vindos de Viseu e da Guarda - 8! -, três deles "veículos longos", que desceram a Avenida a alta velocidade e com escolta policial. Estes oito autocarros vinham de Viseu e da Guarda. Como estes oito, muitos mais vieram de outros locais, pois os Sindicatos, como bem sabemos, não brincam em serviço. Mas as câmaras conseguiram falhar algo tão grande como uma comitiva de autocarros - quando conseguiram encontrar uma professora de bicicleta.

 

Os sindicatos têm uma evidente capacidade organizativa. Não consigo deixar de pensar que, se colocassem essas capacidades ao serviço da verdadeira reorganização da escola pública, seriam os nórdicos a vir cá estudar-nos.

link do postPor João Sousa, às 09:41  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO