A sério que sim
22.6.13

Luis Carito, vice-presidente da Câmara de Portimão eleito pelo PS, é um de cinco arguidos num caso de corrupção, administração danosa, branqueamento, participação económica e associação criminosa.

 

O que me chamou a atenção para este caso não foi a ligação de mais alguns autarcas a casos de corrupção (como diria o homem omnipresente, "uma banalidade"), nem sequer a hipótese de alguns corruptos serem punidos (algo tão raro em Portugal que, estatisticamente, não vale a pena eu ter esperança nisso). Não: o que me maravihou foi o detalhe de Luis Carito, durante as buscas domiciliárias de que foi alvo, ter comido, cru e sem tempero, um documento que retirou das mãos (de manteiga) dos inspectores da PJ.

 

Há quem possa ver nisto uma tentativa de ocultar provas. Eu não vejo a coisa assim. Parece-me, sim, que isto é a evidência de inimputabilidade por transtornos mentais: é óbvio, por andar a comer documentos, que Luis Carito sofre de pica.

link do postPor João Sousa, às 09:38  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO