A sério que sim
20.10.13

"Ele (Lula da Silva) foi a Sciences Po receber o título honoris causa quando comecei a estudar lá, por coincidência. Chegou a Lisboa e quis falar comigo e ninguém lhe dava o meu número de telefone, já eu estava em Paris. Ele fez uma fita, quero falar com o Sócrates! Não tinha o telefone de Paris. Quando chegámos à fala, disse-lhe que íamos estar juntos, depois jantámos na Embaixada do Brasil, antes da sessão. Um jantar divertidíssimo, até às duas da manhã. No dia seguinte, estavam lá os catedráticos todos, no doutoramento, e o Lula disse-lhes que eles tinham ali aquele gajo como étudiant - eu fui e ainda sou estudante de Sciences Po - e pediu-me para lhes mostrar o meu cartão de aluno. Mostra, Sócrates! Mostra!"


Mostra o cartão, Sócrates! Mostra!


Tudo isto é pobrezinho, foleiro, labrego, dedinho espetado a segurar a bica. Nada mais é do que o deslumbramento de um bando de parolos quando vê os neons da cidade. É o pato-bravo que, de fato de treino, atravessa a rua para beber a bica - mas leva no dedo, à laia de aliança, o porta-chaves do Mercedes. É a dona Vitalina que exibe às amigas da aldeia o filho, caloiro da faculdade, vestido com a batina e exulta que o menino "está a estudar para doutor".

link do postPor João Sousa, às 18:03  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO