A sério que sim
29.3.13

Faz agora uma semana, Almerindo Marques afirmou que, enquanto foi Presidente da Estradas de Portugal, era pressionado por José Sócrates para "ser contratualizada mais e mais obra". As instruções não lhe eram dadas directamente, mas por interposta pessoa: o então secretário de Estado das Obras Públicas, o omnipresente Paulo Campos.

 

Hoje, o jornal I expõe como a venda de imóveis pelo regime socrático agravou o défice de 2012 em quase 0,5%:

 

As vendas em massa de imóveis do Estado a uma empresa pública, realizadas nos governos liderados por José Sócrates, foram um dos factores de agravamento do défice público de 2012.

 

As transacções incidiram sobre centenas de imóveis, muitos associados à prestação de serviços públicos, e geraram entre 2005 e 2011 receitas extraordinárias de centenas de milhões. O resultado terá ajudado a aliviar défices públicos nesses anos, mas acabou por ter o efeito contrário no ano passado.

 

Já num passado mais distante, José Gomes Ferreira descreveu parte dos crimes desta quadrilha:

 

 

Como é bom de ver, isto é um traço comportamental do homo socraticus: criar uma fachada de fantasia à conta do que não se tem e empurrando a factura para quem virá depois. Paulo Campos, funcionário do partido que saltita há décadas pelas administrações de empresas públicas e com passagens pelo Governo do país, afirmou ser apoiado financeiramente pelos pais. José Sócrates, funcionário do partido desde sempre, deputado desde 1987, com múltiplas passagens por governos e que ganhou, enquanto Primeiro-Ministro, mais de 600.000 euros (repito: 120 mil contos!), afirmou estar a viver em Paris graças a um empréstimo contraído junto da CGD (espero que esse empréstimo não vá pelo menos caminho dos muitos milhões emprestados ao seu comparsa Joe Berardo).

 

E assim se enterrou um país.

link do postPor João Sousa, às 23:58  comentar

As declarações já têm dias, mas o tempo não lhes amenizou o fedor. O velhíssimo Soares reincide - nas "críticas ao Governo", na língua de pau, na abjecção do argumentário:

 

"Aqueles que ainda não emigraram e os que não se suicidaram, o que começa a suceder com frequência (...)"

 

O jurássico Soares é um verme. 

link do postPor João Sousa, às 22:35  comentar

28.3.13

O PSD acusa Sócrates de ter ontem mentido sobre os encargos com as PPP. Se fosse só sobre as PPP, estava o mundo feliz.

tags:
link do postPor João Sousa, às 21:07  comentar

Não vi o monólogo de Sócrates - prezo demais a minha higiene. Segundo parece, Sócrates está cá "para fazer oposição à narrativa única". Não deixa de ser irónico, pois o ex-Querido-Líder mantém intacta a sua própria narrativa única: nunca tive culpa, nunca cometi erros, os outros é que nos desviaram do caminho do progresso.

 

A verdade, verdadinha, é que teria sido bem mais económico, e com igual resultado, pouparem-nos a mais de uma hora de suplício. A entrevista de Sócrates, no fim de tudo espremido, pode resumir-se a isto:

 

tags:
link do postPor João Sousa, às 09:18  comentar

27.3.13

Assistimos, hoje, a um espectáculo deplorável. Sócrates provou que vive numa bolha, alheio a tudo o que os factos acabaram por provar. O desplante do homem roça a sociopatia. Só alguém desligado da realidade fala das PPP's com a leviandade com que Sócrates o faz. Só um psicótico aborda a evolução da dívida com a cara de pau mentirosa apresentada pelo exilado de Paris.

 

Sempre achei que Sócrates era falso, trapaceiro, perigoso e intimamente desonesto. Agora, acho que é louco.

tags:
link do postPor António Pinto, às 23:00  comentar

Não há volta a dar: o fugitivo de Paris é um criminoso profissional. Homem de cartel, de verbo fácil e venenoso. É desesperante isto estar a acontecer numa televisão financiada com dinheiros públicos.

tags:
link do postPor António Pinto, às 22:19  comentar

Henrique Neto: "É evidente que as intervenções do engenheiro Sócrates, conhecendo como se conhece a sua maneira de fazer política vão introduzir no debate político ainda mais agressividade, mais mentira e mais oportunismo."


Maria Filomena Mónica: "Este regresso de um delinquente político só vem mais uma vez mostrar que quando se entra na carreira do crime é difícil sair. Custa-me que isto seja  na RTP e pago pelo meu dinheiro – apesar de ele ter dito que vem em regime pro-bono – e por isso vou mandar desligar o contador da luz para deixar de pagar a taxa audiovisual. Vou comprar velas."

 

Excertos daqui.

tags:
link do postPor João Sousa, às 21:19  comentar

A esperança, pelos vistos, é a última a morrer - pelo menos, no jornal I.

 

O jornal I anuncia "o regresso do animal feroz" (eu teria simplesmente dito "o regresso do animal") e lista uma série de "perguntas essenciais" às quais urge obter resposta. Contudo, parece que o DN publicou, na sua edição em papel, que a entrevista abordará todos os temas que o ex-primeiro-ministro considera importante serem esclarecidos a propósito dos seis anos da sua governação. Ou seja, nada muda - é o jogador que continua a estabelecer as regras.

tags:
link do postPor João Sousa, às 21:05  comentar

26.3.13

Acho piada a que a CITE, Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, tenha os seus funcionários distribuídos desta maneira: 7 homens e 17 mulheres.

link do postPor João Sousa, às 13:23  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO