A sério que sim
30.6.14

 

Tem sido divertido assistir ao frenesim noticioso à volta da campanha para as primárias do PS. Tão divertido que até passo por cima do facto de, enquanto cidadão que paga os seus impostos municipais em Lisboa, ter um Presidente da Câmara em modo saltimbanco, exibindo as suas habilidades pelas feiras e terreiros do país. Na realidade, talvez Lisboa esteja melhor sem ele.

 

Leva-me esta linha de raciocínio a uma afirmação de Costa, proferida em 2011: "o PS precisa de um secretário-geral a tempo inteiro e o município de Lisboa de um presidente com dedicação exclusiva". Pode o incauto leitor ser levado a pensar que, em coerência com esta afirmação, Costa abandonará a Presidência da CML caso vença as primárias do partido. Nada mais errado.

 

Costa é coerente com a incoerência que caracteriza a sua ideologia política. Dá o dito por não dito com uma enorme facilidade. Considera hoje mentira o que ontem afirmou a pés juntos ser a mais honesta das verdades. É um político moderno e desempoeirado, que não se deixa atrapalhar por detalhes como a realidade. É um homem orientado para os resultados.

link do postPor António Pinto, às 12:38  comentar

27.6.14

Henrique Neto, em entrevista na TVI24, diz que "O grupo que apoiou Sócrates tem má consciência". Henrique Neto está enganado - duplamente enganado. O gangue que apoiou Sócrates não tem má consciência mas sim mau carácter - e, de resto, aquela gente não tem sequer consciência para a ter má.

tags: ,
link do postPor João Sousa, às 22:45  comentar

23.6.14

Há alguns anos, por ocasião de um Europeu ou Mundial de futebol, ouvi uma conversa entre dois ingleses que debatiam a eliminação da sua selecção na fase de grupos. Um deles disse "A verdade é que não merecíamos estar ali", ao que o outro respondeu com esta extraordinária frase:

 

"Não, nós merecemos estar ali, o que não merecemos é ficar ali."

 

Acho este um epitáfio adequado para a campanha da selecção portuguesa. Mereceram estar ali porque se qualificaram para tal - de forma sofrida, sofridíssima. Mas nada mais lógico do que uma selecção que se qualifica nessas condições soçobrar à primeira dificuldade. Casos como o da Dinamarca/92 são a excepção - não a regra.

tags:
link do postPor João Sousa, às 11:20  ver comentários (1) comentar

21.6.14

Li algures num rodapé da Sic Notícias que António José Seguro quer separar os negócios e a política.

 

Como? O estrondear das minhas gargalhadas incomoda o leitor? Lamento por isso, mas é mais forte do que eu. O riso é a única reacção que consigo ter quando ouço a promessa de "separar a política e negócios" ao homem que, com olhos semicerrados de volúpia e os braços bem abertos, acolheu o regresso de - Jorge Coelho.

link do postPor João Sousa, às 19:38  comentar

13.6.14

Serei o único a achar uma tremenda ironia que, nesta Feira do Livro, as Edições Avante estejam mesmo à frente da Loja da Bíblia?

link do postPor João Sousa, às 10:53  comentar

2.6.14

O ex-Querido-Líder José Sócrates veio a público garantir-nos que António Costa não é vaidoso nem ambicioso. Aliás, Sócrates até diz que é uma vergonha pensarmos isso. Mas será Sócrates, realmente, a pessoa adequada para ver a vaidade ou ambição de outrém? Sócrates está na mesma posição de alguém sentado na superfície do Sol: a luz deste ofusca tudo o resto e é impossível ver o ténue brilho das estrelas.

link do postPor João Sousa, às 10:35  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO