A sério que sim
24.7.14

No Portugal dos Pequeninos, João Gonçalves diz das PACC realizadas pelos professores:

 

Estas "provas" são humilhantes até para um analfabeto funcional, quanto mais para pessoas que completaram, pelo menos, licenciaturas. 

 

Discordo dele (vem acontecendo com maior frequência). Humilhante, para um professor, será não conseguir passar numa prova que pouco mais é do que de cultura geral básica. Para a "classe dos professores", devia ser (mas não é!) humilhante a defesa da manutenção no seu seio de elementos incapazes de obter aprovação numa prova destas. Finalmente, para o nosso sistema de ensino, devia ser humilhante gerar licenciados tão abaixo de "analfabetos funcionais" que não consigam aprovar nesta prova.

 

O Ensino é algo demasiado importante para se fazerem as coisas pela metade. Esta prova vem tarde. É uma prova a posteriori, quando devia ter sido a priori. Repito algo que escrevi neste blogue: eu não encaro esta prova como um meio de determinar quais os professores que deixarão de dar aulas. Esta prova, para mim, é um meio de determinar quais os professores que nunca deviam ter dado aulas. E, pessoalmente, aguardo a divulgação dos resultados com alguma curiosidade.

link do postPor João Sousa, às 12:45  comentar

Ricardo Salgado foi detido em casa. Este é um agradável sinal dos tempos: agora, banqueiros são detidos; no consulado de Sócrates, gente que já devia estar detida foi tornada banqueira.

link do postPor João Sousa, às 12:22  comentar

22.7.14

Este é o homem que quer liderar a nação:

 

(via 31 Da Armada)

tags: ,
link do postPor João Sousa, às 14:11  comentar

19.7.14

Qual é o objectivo de um dicionário? Simplesmente descrever o significado de uma palavra com correcção e economia científicas? Ou fazê-lo também com a intenção de acessibilidade a um consulente menos esclarecido – e não o deixar mais confuso com a definição do que com a palavra original?

 

Imaginemos que o sr. Santos, cantoneiro na Câmara Municipal de Lisboa e seguidor fiel das emissões do Governo Sombra, pretende saber o significado de uma palavra amiudadamente dita pelos comentadores: “semiótica”. Saca do smartphone, consulta o Dicionário Online da Priberam, e depara-se com esta talhada de prosa tão exacta quanto hermética:

 

link do postPor João Sousa, às 16:15  comentar

17.7.14

Parece que não é possível inscreverem-se como simpatizantes do PS aqueles que militam noutros partidos. Isto parece-me uma clara falta de abertura à sociedade civil. Ser militante num partido não é impedimento que se possa simpatizar com outro. Se isto fosse uma regra geral, um português não poderia simpatizar com Espanha e um sócio do Benfica com o Estoril Praia.

 

Veja-se, por exemplo, Pinto Balsemão: militante nº 1 do PSD, alguém duvida que simpatiza imenso com aquilo que obteve e espera obter do PS?

link do postPor João Sousa, às 10:26  comentar

15.7.14

Messi, diz o título, desvaloriza o prémio de melhor jogador do Mundial. A verdade, contudo, é que ninguém mais o desvalorizou - do que a FIFA, ao atribuí-lo a Messi.

 

Messi não foi o melhor jogador do Mundial. Não foi sequer o melhor jogador da Argentina. Acho que poucas selecções não tiveram pelo menos um jogador que tenha estado melhor do que Messi. Nem se pode invocar como argumento que tivesse sido o melhor jogador na Final - a meio da segunda-parte, eu até me questionei se ele teria sido substituído ao intervalo, tal a sua invisibilidade.

 

Mas não. Como disse alguém noutro blogue (lamento não me recordar onde para poder atribuir a citação), um jogo nem precisa de começar para a FIFA de Blatter saber que Messi será o melhor.

link do postPor João Sousa, às 14:36  ver comentários (1) comentar

Não fosse eu saber quais eram as equipas intervenientes, até pensaria que aquela equipa de azul que disputou a final com a Alemanha - era a Itália.

link do postPor João Sousa, às 14:33  comentar

Talvez o jurássico Soares tenha razão. Alemães conquistarem um (mesmo que informal) "prémio simpatia" parece um claro sinal de que o mundo, tal como o conhecíamos, está a desaparecer. Que se seguirá? Lobos e cordeiros a viverem juntos? Leões e bezerros a comerem palha na mesma manjedoura?

link do postPor João Sousa, às 08:21  comentar

14.7.14

 

Agora (mais) a sério: Soares perpetrou nova ofensa em forma de livro. Desta vez, fala de mudanças climáticas. O velho Soares invoca nevões, furacões e outros fenómenos extremos, afirmando resultarem da globalização e da actuação de alguns que "só querem ganhar dinheiro" (curiosa censura, vinda de quem vem).

 

A apresentação do livro, essa, foi um mero pretexto para exibir o seu corso de vaidade. Soares vestiu-se de cravo na lapela e arrastou a corte que o segue habitualmente: mulher, filhos, netos, Almeida Santos, Edite Estrela, Lidia Jorge, Seixas da Costa, Carlos Monjardino... só não vi referência ao bobo sobrinho-do-tio Alfredo Barroso - mas imagino que alguém terá que ficar na Fundação para apagar as luzes. Aquela repugnante plateia era um dos mais completos retratos da fauna que construiu a carreira dobrando o joelho perante este nosso rei bobeche. 

 

De tudo o que foi dito pelo idoso Soares, o mais espantoso foi: que sempre fez "o culto da amizade" e nem todos os amigos o trataram bem. Salgado Zenha, Manuel Alegre e Rui Mateus teriam e terão muito a dizer sobre isto. Soares cultiva amizades, sim - para derrubar quando perdem utilidade para a sua augusta pessoa, se recusam a ficar com a responsabilidade das suas pulhices, ou manifestam a mínima oposição à sua imensurável ambição.

link do postPor João Sousa, às 12:04  ver comentários (1) comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO