A sério que sim
28.9.14

 

Sócrates, you've tanned...

link do postPor António Pinto, às 21:52  comentar

Li algures que António Costa, no discurso de vitória, terá dito que "Estas eleições primárias só têm um vencedor: o PS". Concordo em absoluto - e deve ser a primeira vez que concordo com António Costa.

link do postPor João Sousa, às 21:43  comentar

Há um ano, António Costa dizia que ser presidente da Câmara de Lisboa era incompatível com ser líder do PS. E agora, continua a ser ou, como disse em Julho, "as circunstância mudaram"? (Muito gosta esta gente do PS de justificar as suas piruetas com a "mudança de circunstâncias").

 

Eu até diria que, se ele sair da Câmara, o país perde de certeza - mas Lisboa talvez ganhe.

link do postPor João Sousa, às 21:29  comentar

24.9.14

Após uma (recorrente) vaga de fundo na imprensa "especializada", Fernando Santos é o novo seleccionador nacional - lugar que pode estar impedido de ocupar em todos os jogos da fase de qualificação.

 

Eu, que não sou seguidor do fenómeno do "futebol português", confesso-me pouco impressionado com a escolha da Federação. Nada tenho contra a pessoa, com quem até simpatizo por o achar educado, razoavelmente sério e esforçado. Contudo, não me esqueço de que Fernando Santos conseguiu a proeza de perder um campeonato no Porto para o Sporting(!) - e fê-lo tendo Jardel em forma e a marcar golos. Também não me esqueço de que, como treinador do Benfica, Fernando Santos ficou em terceiro, de novo depois do Sporting(!) treinado - curiosamente - por Paulo Bento.

 

Estes dois factos, só por si, foram suficientes para achar Fernando Santos um treinador razoavelmente competente - mas apenas isso.

 

Quem sabe? Talvez tenha evoluído durante estes anos. Talvez seja um melhor seleccionador do que foi treinador de clube - trabalhos com especificidades próprias.

 

Talvez as minhas reticências em relação a Fernando Santos, válidas em 2004, já não façam sentido em 2014. O problema é que o grupo de jogadores que ele tem à sua disposição, claramente mediano e claramente inferior àqueles de que Humberto Coelho dispunha em 2000 ou Scolari em 2004, dificilmente lhe permitirá grandes brilhantismos.

link do postPor João Sousa, às 19:19  ver comentários (1) comentar

19.9.14

A ZON (agora NOS) está a conseguir fazer-me gostar da TMN (agora Meo). O que é algo de imenso - dado que eu acho/achava a TMN a mais ridícula operadora móvel em solo português.

link do postPor João Sousa, às 16:41  comentar

15.9.14

Ex-ministra Maria de Lurdes Rodrigues foi condenada por prevaricação.

 

Em causa estava a contratação de João Pedroso, por ajuste direto, para exercer tarefas de consultoria jurídica, a partir de 30 de janeiro de 2007, mediante o pagamento de 220 mil euros (sem IVA), a serem pagos em duas prestações.

 

O problema não era a contratação directa ou o dinheiro envolvido. O busílis da questão foi mesmo a natureza do trabalho: tirar fotocópias da legislação. Os 220 mil euros fariam destas as fotocópias mais caras da História.

link do postPor João Sousa, às 13:00  comentar

Por mero acidente, descobri há poucos minutos que a banda Os Azeitonas, que durante meses nos infernizou os ouvidos com a sua magnum opus "Anda Comigo Ver Os Aviões", nasceu para os discos em 2005 pela mão de Rui Veloso. Isto explica muita coisa.

 

Que Rui Veloso venha, depois, queixar-se do "triste estado da música portuguesa", parece-me um exercício de alguma hipocrisia. Isto é um pouco como os talibans de Bamiyan queixarem-se da inexistência de uma política de preservação do património.

tags:
link do postPor João Sousa, às 12:37  comentar

O buraco de que falei aqui continua a aumentar. Felizmente, agora já está assinalado para prevenir acidentes...


Clique para ampliar

... simplesmente, como é visível, teve de ser um cidadão interessado a agir perante a inexistência da Câmara de Costa.

link do postPor João Sousa, às 11:26  comentar

14.9.14

A RTP (o tal canal de televisão que está controlado pelo Governo) foi ouvir o velho Soares, esse grande economista, a propósito do BES. Nunca vi a RTP pedir a opinião do palhaço Batatinha sobre a política integracionista de Putin. 

 

Primeiro, acho queriducha a constante simpatia que as gentes do PS, um partido supostamente de esquerda, têm para com os bancos e o grande capital.

 

Segundo, parece óbvio que os banqueiros, certamente mal habituados pelo constante desvelo maternal com que o PS olha para as suas diabruras, encaram o dinheiro dos contribuintes como uma solução para os buracos cavados pelas suas vigarices.

 

Terceiro, ao contrário do que o jurássico Soares afirma, não foi o Governo a atirar o BES para o charco. O BES foi parar ao charco (ou melhor, às areias movediças, pois quanto mais se mexe mais se enterra) graças às "liberdades criativas" de uns cavalheiros que o dirigiam.

 

Quarto, a ameaça de "Quando Ricardo Salgado falar, e vai falar, as coisas vão ficar de outra maneira". Na essência, o decano Soares está a dizer que quem se mete com Ricardo Salgado, leva - tal como Jorge Coelho dizia que "quem se mete com o PS, leva". Aliás, acho que o PS poderia generalizar: quem se mete com os nossos, leva.

 

Acontece que eu quero que Ricardo Salgado fale. Eu quero que Salgado fale tudo - mas é mesmo tudo, não um "tudo" seleccionado para conveniência de alguns. Tenho a certeza de que haveria muitos nomes conhecidos nessa lista, a começar por alguns que contribuíram para o regresso da família a Portugal.

 

Quando foi o BPN, o governo de então achou por bem queimar dinheiro do contribuinte de forma a deixar toda a gente satisfeita: banqueiros e futebolistas que tomam pequenos-almoços. A coisa não correu bem. Agora, o Governo adoptou estratégia diversa: não acorrer com pazadas de dinheiro do contribuinte para tapar os buracos abertos por um burlão bem relacionado. Até pode acontecer que a coisa corra igualmente mal - mas é uma diferença de postura interessante.

link do postPor João Sousa, às 15:55  comentar

8.9.14

Quando na sexta-feira passada li:

 

Foi dado como provado que Armando Vara recebeu 25 mil euros de Manuel Godinho

 

recordei-me logo de algo que Eduardo Pitta escreveu, exultante, em Dezembro de 2009:

 

Caiu por terra a fantasiosa acusação de [Armando Vara] ter recebido 10 mil euros, ou qualquer outra soma, para intermediar negócios de Manuel Godinho.

 

Pitta foi (imagino que continue a sê-lo, mas deixei de consumir o seu blogue) um dos mais fervorosos defensores do regime socrático e um constante relativizador do fenómeno Vara, tendo-lhe dedicado vasta obra escrita no seu blogue. Isto faz-me sentir um certo prazer perverso em escrever:

 

Caiu por terra a fantasiosa ideia de Eduardo Pitta de que caíra por terra a fantasiosa acusação de Armando Vara ter recebido qualquer soma para intermediar negócios de Manuel Godinho.

link do postPor João Sousa, às 21:53  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO