A sério que sim
27.1.15

Os gregos estão, em definitivo, a passar um mau bocado. No Domingo, elegeram o Syriza para governar; ontem, morreu Demis Roussos.

tags:
link do postPor João Sousa, às 11:50  comentar

23.1.15

O défice de 2014, ao que parece, fechou 655 milhões abaixo do previsto. Mas não temais: António Costa já aí vem para voltar a pôr as coisas nos eixos.

tags:
link do postPor João Sousa, às 18:32  comentar

22.1.15

Pelas 16:30, estavam uns vinte sindicalistas especados perto do edifício da PT nas Picoas. Entre todos, não se devia contar uma única lâmina de barbear...

link do postPor João Sousa, às 20:01  comentar

21.1.15

Com o recuperar da credibilidade nos mercados, o Governo consegue antecipar o pagamento do empréstimo do FMI. Com a queda do preço do petróleo, as previsões para o crescimento económico, que já permitiam algum optimismo, tornam-se ainda melhores.

 

Talvez por isto o velho Soares se mostre tão desejoso de uma vitória do Syriza nas legislativas gregas. Da sua perspectiva, nada melhor do que uma Grécia entregue à bicharada para (re)lançar o caos na Europa e boicotar aquilo que se conseguiu com tanto esforço.

link do postPor João Sousa, às 17:33  comentar

13.1.15

Nuno Artur Silva na administração da RTP? Isto só pode ser uma produção fictícia de cabeças desarranjadas.

 

Nuno Artur Silva foi um dos signatários do Manifesto "A cultura apoia António Costa" (pelos vistos, a gratidão ainda existe na política). Nuno Artur Silva foi também uma das "personalidades" que lançou o manifesto português de apoio à Syriza. Pessoalmente, acho no mínimo uma provocação que seja proposto para a administração da televisão pública. Por outro lado, se isto contribuir para o fim do "Eixo do Mal"...

link do postPor João Sousa, às 11:34  comentar

10.1.15

Ana Gomes escreveu para quem a quis ler, e disse para quem a quis ouvir, que

 

"o terrorismo é uma consequência da austeridade".

 

Não, Ana Gomes. O terrorismo é tão consequência da austeridade como os assassínios de Ted Bundy foram consequência da emancipação feminina.

 

Não, Ana Gomes, o terrorismo não é consequência da austeridade. O terrorismo é consequência de haver uns quantos que, ainda vivendo na Idade Média, defendem um modelo de sociedade absolutamente retrógado, baseado numa interpretação deturpada das suas escrituras religiosas e que, por fanatismo, se sentem autorizados a abater todos aqueles que não as partilham. Uma sociedade que não convive com a diferença e onde o conceito de livre arbítrio não existe. Uma sociedade onde, por exemplo, Ana Gomes, apenas por ter nascido mulher, seria forçada a cobrir-se da cabeça aos pés para sair de casa e impedida de emitir uma opinião ou até de aprender a ler.

 

Eu tenho um problema com Ana Gomes e não é por ser, na opinião de alguns, uma mulher sem papas na língua. O meu problema não é Ana Gomes dizer o que pensa - é ela, amiúde, falar sem pensar, descambar para o populismo, politiquice rasca ou a pura mentira. O terrorismo não é consequência da austeridade - mas o terrorismo verbal de Ana Gomes é óbvia consequência da sua imbecilidade.

link do postPor João Sousa, às 17:42  comentar

6.1.15

pig-sty.jpg

As pessoas podem começar a pensar que eu tenho um qualquer problema particular com o PS. Posso dizer, com absoluta sinceridade, que tal é muito distante da verdade: eu começo é a ter um problema com a generalidade do PS.

Vera Jardim, um dos eternos actores do nosso regime, veio dizer que o ex-Querido-Líder tem o direito de violar a lei para "se defender". Isto é o assumir sem rodeios por parte do Partido Socialista que a legalidade é um conceito apenas aplicável aos outros, enquanto ele próprio, mercê do seu nascimento ou predestinação, está isentado dessas chatices.

Mas a questão é, também, outra. Para se defender das investigações no caso Freeport, Sócrates já fizera avançar Lopes da Mota com ameaças de represálias caso os inquéritos não fossem encerrados com rapidez - e, imagino eu, "resultados satisfatórios". [Lopes da Mota, convém lembrar, não é virgem na manipulação de casos judiciais envolvendo figuras gradas do PS.] Mais tarde, para se defender do escrutínio de Manuela Moura Guedes, Sócrates e sus muchachos conspiraram para a compra da TVI por um grupo que lhe desse garantias de respeitinho.

Ou seja: de há muito que José Sócrates recorre à ilegalidade para se defender . Aliás, cada vez mais parece evidente que, para Sócrates, a ilegalidade é um estilo de vida.

link do postPor João Sousa, às 12:38  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO