A sério que sim
28.8.17

Os meteorologistas previram, com avanço, uma sequência de dias quentes e secos com possível ocorrência de trovoadas. O Estado, na pessoa do Governo, fez orelhas moucas, não avançando qualquer prevenção ou vigilância especial - e ocorreu Pedrógão Grande.

 

Os meteorologistas previram, com avanço, uma sequência de dias com provável chuva. O Estado, na pessoa da Câmara de Lisboa, fez orelhas moucas, não avançando qualquer prevenção - por exemplo, limpando os escoadores. Ocorrem inundações.

 

O Verão fez uma pausa - titulou a Renascença. A inércia estatal, essa, é imparável.

link do postPor João Sousa, às 21:44  comentar

Rita Ferro Rodrigues que, como paladina da eliminação dos estereótipos de género, (não) passa as tardes da SIC a ensinar donas-de-casa a mudar o óleo do automóvel ou a instalar cablagem de rede nas divisões domésticas, lançou a sua potente voz contra dois livrinhos de passatempos da Porto Editora. Agrada-me que figuras públicas como Ferro Rodrigues (Rita) usem a sua visibilidade para abordar causas realmente importantes, em vez de perderem um segundo das suas vidas (muito bem pagas) com temas menores como, por exemplo, o ocupante da segunda cadeira hierárquica do Estado ser alguém que, quando líder de um partido de poder, se estava cagando para o segredo de Justiça e agora, pelos vistos, se estar cagando para a independência da Justiça.

link do postPor João Sousa, às 11:09  comentar

27.8.17

O Expresso desta semana anuncia na sua primeira página:

drones.JPG

 Será que alguém ainda consegue ler uma "notícia" destas sem se rir?

link do postPor João Sousa, às 21:50  comentar

Então, vamos lá a ver se eu percebo: aqueles que, há poucos anos, acusaram um adversário de procurar proveitos políticos no facto de a sua esposa não ocultar a doença grave de que padecia, são os mesmos que, agora, aplaudem como "corajosa", "digna" e de uma imensa "dimensão intelectual" a exposição, por uma política da sua área, de factos da sua vida privada e que são anunciados pela própria com um assumidíssimo móbil político. É isto, não é?

tags:
link do postPor João Sousa, às 13:08  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO