A sério que sim
24.1.12

Coisas que me apraz dizer sobre esta petição que reclama a destituição de Cavaco Silva por causa do episódio reformas:

 

1) ao continuar na prática de ridicularias destas, a Esquerda corre o risco de não ser levada a sério se alguma vez falar de algo realmente grave.

 

2) a Esquerda nunca conseguiu perdoar que alguém conotado com o centro/Direita, e ainda por cima não oriundo da dita "aristocracia" social, conquistasse a Presidência da República. A Esquerda sempre parece considerar este cargo como um direito seu. Tenham lá paciência, rapazes, mas isto tem um nome - democracia.

 

3) são criadas petições por Cavaco ter feito umas declarações patetas. Não me recordo de as mesmas pessoas criarem petições quando foram descobertos os vários casos cinzentos que rodearam Sócrates, esses sim casos de justiça e carácter (Universidade Independente, TVI, Cova da Beira, etc). A Esquerda é muito moralista mas, quando a bola está no seu campo, são tomados por súbito torcicolo e não conseguem ver nada. O escrutínio é só válido para um dos lados.

 

4) a propósito deste episódio, são expostas e analisadas nos jornais as declarações de rendimentos e a origem das reformas auferidas por Cavaco Silva. Isso faz imensa gente salivar de gozo, de dedinho em riste. Um jornal publicou detalhes sobre o exílio dourado de Sócrates: expõe a credibilidade questionada e questionável da Sciences-Po que quase faz, por comparação, a Independente parecer Oxford; e mostra a imensa indefinição do que Sócrates está lá a (não) fazer. As mesmas gentes babam mas, aqui, de raiva, arrepanhando os cabelos aos punhados por causa do que consideram uma vergonhosa intromissão na privacidade de "um cidadão".

link do postPor João Sousa, às 11:22  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO