A sério que sim
30.5.12

Um estudo realizado em Coimbra mostra que quem mais sofre com eventuais sobrecargas de trabalho são as mulheres e, pasme-se... indivíduos que seguem ideologias de esquerda.

 

Não deixa de ser paradoxal o efeito que uma carga excessiva de trabalho exerce sobre o bem-estar dos fiéis seguidores vermelhos. Paradoxal porque, sempre que um acidente lhes permite chegar ao poder num qualquer país que, fruto das circunstâncias, se encontra sem rei nem roque, impõem cargas de trabalho absolutamente monstruosas e, por sinal, não muito bem remuneradas, aos povos desses países. Como em tudo, nisto o bom comunista é hipócrita: trabalhar muito é bom... mas para os outros!

link do postPor António Pinto, às 10:28  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO