A sério que sim
9.7.12

carpideira, subst.fem. - mulher mercenária que pranteava os mortos durante os funerais.

 

Atentemos um pouco na famosa "manifestação popular" da Covilhã em que a presa foi Álvaro Santos Pereira. As televisões, os jornais, os websites de notícias, os blogues, todos publicaram e republicaram gulosamente fotografias e vídeos do personagem que se estirou sobre o capô da viatura oficial do ministro. Alguns mencionaram de passagem que a figura tem por nome Luis Garra e por ocupação sindicalista (logo aqui, campainhas deviam soar). Nenhum, que eu tenha dado por isso, reportou o interessante detalhe de Luis Garra ser funcionário sindical pelo menos desde 1978 (tinha na altura 21 anos!), de ter aderido em 1974 ao Movimento da Juventude Trabalhadora (com 17 anos!), de ser membro do CC do PCP e de não ter tido, em quase toda a sua vida adulta, outro tipo de actividade que não política, sindicalista, manifestante e do contra.

 

Ao longo de uma carreira com quase quatro décadas, é de crer que Luis Garra já se tenha lançado sobre os capôs das viaturas de Sá Carneiro, Pinto Balsemão, Mário Soares, Cavaco Silva, Guterres e mais não sei quantos outros Primeiro-Ministros, Presidentes da República, presidentes de Junta, banqueiros, treinadores de futebol e vendedores de gelados. Luis Garra, o tal da manifestação popular, é um sindicalista de carreira e de teoria feita que até já se internacionalizou. Como este Luis Garra, há muitos por aí. Há imensos Luises Garra pelo país fora, desejosos de servir como rastilho, ansiosos pela tragédia porque se alimentam, vicejam nela como vampiros.

 

Estes manifestantes de carreira são, no fundo, a versão moderna das carpideiras.

link do postPor João Sousa, às 12:19  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO