A sério que sim
9.7.12

Ah, mas isto é genial. Isto é o retrato do sindicalismo com freio nos dentes. O título expõe na perfeição todo o conceito de negociação, e do papel da greve, que vai atravessando as mentes sindicalistas:

 

Médicos consideram que se negoceia melhor depois da greve.

 

Como se não fosse suficiente, os senhores do sindicato lançam um apelo:

 

A paralisação também é em defesa dos doentes, diz Roque da Cunha, que não quer ver os doentes usados contra os médicos nos dias da greve. Por isso, apela a que os portugueses, nesses dias, não recorram aos serviços de saúde, "para não serem aproveitadas as suas doenças contra os médicos". 

 

Roque da Cunha, secretário geral do SIM (Sindicato Independente dos Médicos), não quer ver os doentes usados contra os médicos nos dias da greve. Isso não irá acontecer - porque os doentes já estarão sendo usados contra o Ministério nos dias da greve. Não sendo os doentes partículas subatómicas, não podem estar em dois locais ao mesmo tempo.

 

Acho magnífico que o SG do SIM também apele aos doentes para, no dia da greve... não estarem doentes. Infelizmente, e eu pensava que qualquer médico teria disto conhecimento, é um pouco complicado planear antecipadamente - um boicote à doença.

link do postPor João Sousa, às 23:14  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO