A sério que sim
18.7.12

Digam lá se não estavam cheios de saudades dele.

 

O velho Soares diz, na sua melhor personificação Laurinda Alves, que a Europa pode sair da crise com a condição de crer em si mesma. Tudo muito New-Age, muito Zen. Provavelmente foi buscar inspiração a'O Segredo. A Soares, na velhice, deu-lhe para incorporar o esoterismo no seu arsenal de politiqueiro.

 

O antigo Soares também diz que o povo clama e reclama por outro e melhor Governo. Aparentemente, para Soares, umas poucas dúzias de maduros desocupados que se entretêm nos seus jogos políticos subsistindo à custa dos seus sindicalizados, têm precedência sobre essa coisa chamada eleições. Para Soares e as suas claques (mais ou menos) organizadas, estas coisas chamadas "eleições" e "legitimidade democrática" só são vinculativas quando é o seu lado que ganha - caso contrário, tornam-se empecilhos. Deve ser por isso que não me recordo de ver Soares, nos idos de 80, acorrer às solicitações de "Governo Soares/Mota Pinto rua!" pichadas nas paredes.

 

O sáurio Soares também se indigna: "Como é que é possível? Um cidadão diz-se licenciado numa universidade, e depois verifica-se que não foi lá, que pagou, e ainda por cima depois vangloria-se. Para mim não é possível." Só não percebi de quem falava: se de Relvas, se de Sócrates.

link do postPor João Sousa, às 12:38  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO