A sério que sim
10.11.11

Começou hoje a discussão na generalidade do Orçamento de Estado na Assembleia da República. Passos, rodeado de uma equipa jovem e competente, frequentemente acusada de ter falta de experiência política (o que, tendo em consideração o fosso que os nossos políticos experientes escavaram ao longo das últimas décadas, me soa ao mais aberto dos elogios), tem feito o que é preciso fazer. Tirar o Estado de cena enquanto player, liberalizar o mercado, abri-lo ao investimento externo sem obstáculos volumosos e poeirentos, impor ao Estado e, consequentemente, ao País, uma dinâmica de despesa que não ultrapassa o rendimento, são passos essenciais para recolocar Portugal no sítio em que um dia esteve.

 

O actual ajuste, "empobrecimento", como lhe chamou o PM, é absolutamente indispensável, apenas colhendo de surpresa os incautos dada a Matrix em que temos vivido: os portugueses serão, ainda este ano, o povo da Europa com maior nível de consumo per capita na altura do Natal. Almoços fora todos os dias, jantares fora com regularidade, férias gloriosas todos os anos... nada disso é compatível com uma economia verdadeiramente sustentável. É lamentável que tenhamos vivido inebriados pelo crédito fácil ao longo de tantos anos, alimentados por uma máquina de propaganda de fazer inveja ao Terceiro Reich.

 

A factura chegou!

 

link do postPor António Pinto, às 14:25  comentar

De na primeira pessoa do singular a 10 de Novembro de 2011 às 14:52
desculpe lá, mas de que portugueses fala? os das estatísticas ou os de Portugal?

De na primeira pessoa do singular a 25 de Novembro de 2011 às 12:24
não me lembro da delloite me ter perguntado, nem ouvi ninguém que eu conheça ter comentado sobre isso...
Também dizem que os portugueses bebem litros e litros de vinho, mas alguém deve andar a beber o meu, o das nminhas filhas, da minha mãe, ...porque nós não bebemos.

Tenho sempre sérias dúvidas sobre estes estudos...
vejamos:
Algumas centenas de milhares de crianças e jovens e mal reformados vão gastar 350,00 € no natal?
O meu agregado familiar vai gastar 1400,00€ no natal?
meio milhão de desempregados vai gastar 350,00e no natal?

Graças a Deus!!!! Ainda há esperança que nos calhe o euromilhões a todos até ao dia 25 do mês que vem!!!! Obrigada ela boa notícia!!!

Só para dizer que noutros anos, até gastei mais. Este ano, nem metade...

De Sara a 10 de Novembro de 2011 às 15:46
Parabéns pelo destaque!

De António Pinto a 10 de Novembro de 2011 às 16:00
Muito obrigado.

De John Doe a 10 de Novembro de 2011 às 16:35
Falas muito bem mas infelizmente só dizes asneiras. Propaganda ao estilo 3º Reich é o que tu fazes, pois dá para perceber que és um dos que alinha pela cor do governo. Os passos do Passos são apenas mais do mesmo, a única coisa a que nos vai levar é sermos tão pobres como os paises de 3º mundo (ahhh desculpem-me, adora diz-se "economias emergentes", é mais fino e fica bem usar palavras bonitas) para assim podermos competir com eles. O Sr Passos soube prometer uma coisa a fazer logo o oposto dias depois quando já estava no poleiro. Diz que herdou uma situação provocada por outros. Se não sabia do que falava então que tivesse ficado calado até poder falar sabendo o que dizia. É muito rápido a sacudir a água do capote e culpar os que lá estavam quando foi ele próprio que os manteve lá apesar de duas moções de censura da esquerda, para assim "herdar" esta situação e ser, assim, mais fácil aplicar as tais medidas "corajosas" de que tanto se gabam. Numa coisa concordo: os portugueses merecem tudo o que lhes acontecer, por continuarem a dar votos, alternadamente, a esta corja que nos está a afundar.

De Mestre Hirão a 13 de Novembro de 2011 às 16:30
Esta de "...recolocar Portugal no sitio onde um dia esteve..." é que me soa a um saudosismo do terceiro reich, que se bem me lembro, matou milhões de pessoas. Talvez o autor tenha pena de não ter sido um deles.
No restante estou de acordo com o texto.

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO