A sério que sim
14.12.12

Ana Paula Vitorino, secretária de Estado dos Transportes no consulado de Sócrates e Mário Lino, veio criticar a suspensão do TGV. Considera-a um "profundo retrocesso para a economia portuguesa".

 

Interessante, a desfaçatez destas gentes. Mas ainda mais interessante é este argumentário:

 

"o projeto (...) poderia sustentar-se economicamente por si próprio, beneficiando de fundos comunitários entretanto perdidos por Portugal."

 

O projecto, pelo que percebo, podia ser auto-sustentável - mas na condição de beneficiar de fundos comunitários. É um argumento genial: a sua auto-suficiência derivaria não da sua utilidade, graças aos pagamentos de quem dele usufrui, mas da sua simples existência - recebendo um subsídio por ter sido construído.

 

Continua a ser este, afinal, o conceito de sustentabilidade económica que as mentes socialistas abraçam. É como se fôssemos um país sustentado por mecenato.

tags:
link do postPor João Sousa, às 10:11  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO