A sério que sim
9.1.13

 

Li em alguns blogues afectos à Esquerda, e nas caixas de comentários dos jornais, protestos pelo aproveitamento político que a Direita (como os senhores da Esquerda gostam de cuspir as consoantes da palavra Direita) estaria fazendo deste episódio Glória Araújo. A senhora, dizem eles, cometeu um erro na sua vida privada, pede desculpa por isso e esquece-se o assunto.

 

Estão, estes senhores, a querer enviesar a questão.

 

Aquilo que um deputado faz na privacidade é com ele. Não me interessa para nada se um deputado, seja de que bancada for, celebra o seu aniversário com bebedeiras de cair ou açoites nas nádegas. Se não é ilegal e não é contrário a princípios que defende na sua actividade, não tenho nada a ver com isso.

 

Mas quando alguém, seja ele quem for, acha ser boa ideia conduzir com uma taxa de álcool de 2,4g/l, não está a fazer algo privado. Está, isso sim, a cometer um crime e a colocar terceiros em perigo - e isto não é um acto privado, é um acto público (e bem público).

link do postPor João Sousa, às 23:43  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO