A sério que sim
16.2.16

O PS quer impor às empresas cotadas em bolsa um mínimo de 1/3 de mulheres nos seus conselhos de administração. Imagino que, se as empresas não tiverem como cumprir tais quotas, podem pedir ao próprio PS que forneça várias das suas militantes para os lugares em falta.

 

Mas o que raio tem o governo a ver com quantas mulheres, ou homens, ou indecisos, as empresas privadas cotadas na Bolsa têm na gestão? E que legitimidade tem este PS para impor, ao sector privado, 1/3 de mulheres nas administrações, quando o seu próprio governo é constituído por menos de 1/4 de ministras?

tags: ,
link do postPor João Sousa, às 17:36  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO