A sério que sim
27.11.14

Stasi-files.jpg

O geriátrico Soares foi ontem visitar o amigo e "bom homem" Sócrates à prisão. De cabeça perdida à saída, pois vergonha ou moral nunca teve para perder, disparou em todas as direcções.

 

O que afligia Soares? Ver um amigo, bom homem e impecável primeiro-ministro, vítima de um auto-de-fé? Sentir a sombra negra do fascismo abater-se de novo sobre a sua tão amada pátria, com prisões na calada da noite? Ver esse pilar da ética republicana chamado Partido Socialista sob uma perseguição política? Acordar de manhã e ver que já não tem fraldas na despensa?

 

Não. O velho Soares está desesperado (pois foi medo aquilo que lhe pressenti ontem) porque vê Ricardo Salgado, Maria de Lurdes Rodrigues, Armando Vara, Isaltino, Sócrates a braços com a justiça. Soares pressente o final da impunidade de que gozava toda uma mole de "bons rapazes e raparigas" que se serviam do Poder e da sua proximidade como se fossem Donos Disto Tudo. Soares receia que, finalmente, ele próprio veja a sua imunidade soárica revogada. E imagino que, algures nas catacumbas da sua fundação manhosa, filas e filas de máquinas trituradoras estejam a reencenar aquilo que foram os últimos dias da Stasi por alturas da queda do Muro.

link do postPor João Sousa, às 12:48  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO