A sério que sim
6.12.16

Inegável discípulo do seu mestre, Fernando Medina demonstra possuir a mesma paixão pela transparência - e por ocupar cargos para os quais não foi eleito. Perante a costumeira derrapagem na data de conclusão de três das obras que desfiguram Lisboa, a Câmara optou por, na melhor tradição de Estaline, apagar do seu site as datas inicialmente previstas.

 

Entretanto, quando questionada sobre as causas para os atrasos, a Câmara de Medina sacudiu, na melhor tradição socialista, a água para capotes alheios - porque a culpa nunca é do PS. No caso do Largo da Graça, desculpa-se com os arraiais dos santos populares: ficamos assim a saber que a Câmara é tão lassa no planeamento das obras que não consegue antecipar a ocorrência de uma festividade por cuja organização é directamente responsável! No caso de Campolide, desculpa-se com a Carris que precisou de um percurso alternativo: ficámos portanto a saber que a Câmara, durante as semanas ou meses que passou naquela zona a planear a obra, nunca reparou nuns veículos razoavelmente grandes que passavam por lá com suspeita regularidade.

 

Lisboa não merece esta gente. Mas os lisboetas, que se vão esquecer de toda esta bandalheira e elegê-lo nas próximas autárquicas, merecem-no por inteiro.

link do postPor João Sousa, às 10:40  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO