A sério que sim
9.10.15

Então, vamos a ver se eu percebo.

 

Há anos, a Esquerda rasgava as vestes por Santana Lopes ser nomeado primeiro-ministro pela bancada com maioria parlamentar e cujo programa eleitoral tinha sido o mais votado - com o argumento de que não tinha sido ELE o eleito pelos votantes.

 

Hoje, a mesma Esquerda não vê problemas em formar governo com um primeiro-ministro que SE APRESENTOU a eleições e cujo programa eleitoral NÃO FOI o mais votado. Na verdade, se a Esquerda argumenta que perto de 62% do eleitorado rejeitou o programa eleitoral da coligação, quase 68% rejeitou o do PS - incluindo os eleitores daqueles partidos que se querem agora, muito convenientemente, juntar a ele.

 

Não, coerência - ou falta dela - não é a palavra adequada. Canalhice -  esta é que é a palavra que eu procurava.

link do postPor João Sousa, às 11:15  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO