A sério que sim
29.9.15

A própria notícia o diz: "Assim, a empresa adiou o impacto para exercícios futuros,(...)". Mas o que interessa é dizer no título que o governo "escondeu prejuízos", até para não percebermos que se estava a falar de previsões. E também para não reparamos que 150 milhões de euros pouco mais são do que um erro de aproximação no valor total do défice que tanta preocupação, segundo a notícia, estava a causar. Défice que, já agora, ficou abaixo do necessário em bem mais do que estes 150 milhões de euros.

 

Se eu gosto de espertezas em contas, mesmo em se tratando de cagagésimos? Não, porque me faz lembrar demasiado os malabarismos negociais das PPPs socráticas. Se eu gosto que este problema tenha sido criado pela ideia militante do governo de Sócrates de nacionalizar o BPN, quiçá como resultado de alguns pequenos-almoços com figuras gradas? Ainda menos.

 

Se eu gosto de esta notícia ter estado a ser cozinhada algures em banho-maria, até uma "fonte" ter achado que era boa altura para a tornar pública? Nadinha mesmo. Eu já antes comentei sobre os timings da espera, por isso não me vou repetir.

link do postPor João Sousa, às 11:07  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO