A sério que sim
23.9.15

Nicolau "ouçam Artur Baptista da Silva" Santos perpetrou um texto à volta da palavra confiança. Afirma ser surpreendente que a coligação tenha conseguido centrar o debate nas propostas do PS, e imagino que lamenta isto estar a dar dividendos. Ele parece perplexo:

Não há pobreza, não há desigualdades sociais, não há cortes nos salários e pensões, não há promessas que tenham ficado sucessivamente por cumprir, não há 485 mil portugueses que tenham sido obrigados a emigrar entre 2011 e 2014, segundo dados ontem divulgados pelo INE, não há problemas no Serviço Nacional de Saúde, nem na Justiça, nem na Educação. Nada. O grande problema do país é o programa do PS.

Depreendo que, para Nicolau Santos, não houve um país falido em 2011, não houve um resgate financeiro em 2011, não havia milhares de milhões em dívida camuflada em 2011. Nada. Nicolau assume que Passos Coelho fez os cortes que fez, e tomou as decisões que tomou, porque gosta que as pessoas andem a cuspir-lhe na efígie ou a espetar alfinetes em bonecos-vudu enquanto pensam nele.

 

Sim, Nicolau Santos, o grande problema do país é o programa do PS. Porque neste programa está escarrapachado um regresso ao passado recente, a um modelo económico que não funciona, de todo, num país pequeno e com recursos limitados como é o nosso. O programa Centeno nem sequer assenta na estratégia "leve agora e pague depois" - é mais do género "leve agora e depois logo se vê".

link do postPor João Sousa, às 19:21  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO