A sério que sim
23.9.15

Pedro Nuno Santos, o tal da imagética rica e que queria deixar os credores com as pernas a tremer, vem dizer que a revisão em alta do défice do ano passado, consequência do registo da injecção de capital no Fundo de Resolução do Novo Banco, será uma "herança pesada" (ele que acha, portanto, que o défice de 11% deixado por Sócrates foi uma mera brisa em tarde de Verão).

 

Façamos de conta que acreditamos em Pedro Nuno Santos. Façamos de conta que não sabemos que o dinheiro que foi contabilizado no défice de 2014 é um empréstimo. Façamos de conta que não sabemos que, se o PS for governo e esse dinheiro regressar com juros, o PS irá dizer, tal como disse em Lisboa sobre os milhões de dívida camarária assumidos pelo Estado, serem as suas mágicas capacidades financeiras.

link do postPor João Sousa, às 19:53  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO