A sério que sim
28.8.17

Rita Ferro Rodrigues que, como paladina da eliminação dos estereótipos de género, (não) passa as tardes da SIC a ensinar donas-de-casa a mudar o óleo do automóvel ou a instalar cablagem de rede nas divisões domésticas, lançou a sua potente voz contra dois livrinhos de passatempos da Porto Editora. Agrada-me que figuras públicas como Ferro Rodrigues (Rita) usem a sua visibilidade para abordar causas realmente importantes, em vez de perderem um segundo das suas vidas (muito bem pagas) com temas menores como, por exemplo, o ocupante da segunda cadeira hierárquica do Estado ser alguém que, quando líder de um partido de poder, se estava cagando para o segredo de Justiça e agora, pelos vistos, se estar cagando para a independência da Justiça.

link do postPor João Sousa, às 11:09  comentar

 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO