A sério que sim
18.4.16

Não, António, para a esquerdinha a legitimidade do "recurso a um instrumento constitucionalmente previsto para derrubar uma força política eleita nas urnas" não depende do lado do Atlântico em que está a força a ser derrubada - depende, sim, do lado do espectro político em que tal força está.

link do postPor João Sousa, às 21:01  comentar

16.3.16

rr_lula_ministro.png

O título da Rádio Renascença não é inteiramente correcto: Lula não virou ministro mesmo suspeito de corrupção - Lula virou ministro por ser suspeito de corrupção.

link do postPor João Sousa, às 18:12  comentar

31.10.14

O António questiona-se sobre como foi possível a reeleição de Dilma. Eu não tenho respostas definitivas - mas sempre vou dizendo que não chamamos aos brasileiros "povo irmão" por acaso. Os brasileiros, apesar de todas as evidências, votaram pela manutenção do petismo; os portugueses, apesar de todas as evidências, mostram-se dispostos a votar o regresso dos socráticos. Onde está a diferença?

link do postPor João Sousa, às 10:05  comentar

27.10.14

tiririca-1.jpg

Já vi muita coisa estranha na política brasileira, é um facto.

 

Dilma foi reeleita. A questão que coloco, e que humildemente peço aos caros leitores brasileiros que respondam é: como foi possível?

link do postPor António Pinto, às 16:51  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO