A sério que sim
15.3.17

Centeno congratula-se por taxas negativas de curto prazo que desceram face às anteriores. Centeno pensa que somos parvos e não sabemos que as taxas de juro de curto prazo reflectem apenas a confiança dos investidores no BCE que nos vai pondo a mão por baixo.

tags:
link do postPor João Sousa, às 12:58  comentar

3.6.16

Centeno é um ministro socialista, não há dúvida. Lê-se hoje na primeira página do DN:

 

dn_20160603_marteladas.JPG

Ou seja, voltamos aos tempos em que eram feitos truques contabilísticos para maquilhar as contas desgovernadas. E se a Europa permitir isto, perderá toda e qualquer credibilidade que lhe restasse.

 

Adenda: quem é que ainda acredita que o défice, com CGD ou sem CGD, ficará minimamente perto dos 2,2%?

link do postPor João Sousa, às 07:36  comentar

3.3.16

Eu explico: gralha é escrever punto em vez de pinto, ou querer escrever passado e sair passdo, ou mesmo potra quando era porta o pretendido. Todas as "gralhas" e "erratas" que vêm sendo apostas ao Orçamento de Estado que, antes de o ser, já é o seu próprio Rectificativo, não são "gralhas": são incompetência na melhor das hipóteses - ou pulhice na pior. E dados os actores desta triste comédia, inclino-me para a segunda.

link do postPor João Sousa, às 11:06  comentar

16.2.16

Sabemos que a coisa está malparada quando é José Lello quem recomenda contenção...

lello recomenda contenção.jpg
(da capa de hoje do jornal I)

tags: ,
link do postPor João Sousa, às 23:50  comentar

9.2.16

Ah, se fosse um ministro das finanças de "direita" a dizer, após um orçamento que traz mais imposto, que "quem tem 2000 euros de rendimento bruto está numa situação privilegiada"! Que clamor que iria por essa esquerda e por essas redacções de jornais! Mas como é um inimputável do PS que o diz...

tags:
link do postPor João Sousa, às 15:45  comentar

22.1.16

12285636_1174608992568400_1275769835_n.jpg

 

Centeno surpreendeu tudo e todos com o esboço do orçamento de Estado para 2016. Porquê? Porque prevê uma revisão em baixa do défice de 2015 para 2,6% e, sabe Deus como, um crescimento do PIB de 2,1%(!) em 2016 acompanhado de uma redução da dívida pública para 126% do Produto Interno Bruto

 

Importa recordar que tudo isto sucederá paralelamente à reposição dos cortes salariais na Função Pública, redução do horário de trabalho para 35 horas, reposição dos feriados, aumentos de pensões (ainda que vestigiais), reversão das concessões dos transportes, negociação com os donos da TAP para controlo da maioria do capital da empresa (custos desconhecidos), entre outros mimos para adoçar a boca ao eleitor.

 

Com olhos no futuro, Centeno é o homem certo para mediar e resolver o conflito israelo-árabe, converter os militantes do estado islâmico à fé cristã, acabar com o flagelo da fome no Mundo ou provar que o Elvis está mesmo vivo. Depois de executar um orçamento com estas premissas, o céu é o limite!

link do postPor António Pinto, às 09:58  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO