A sério que sim
21.10.15

208073_1780133182198_1205478900_31584212_5254237_n

 

Eu sei bem quem daria um Ministro da Justiça perfeito...

link do postPor António Pinto, às 09:19  comentar

20.10.15

download.jpg

 

Costa fecha a porta a um entendimento com a direita e, pelos vistos, o entendimento à esquerda também não está fácil.

 

Costa semeia ventos, colhe tempestades e espalha o caos à sua volta, disposto a desfazer, de uma forma mais, menos ou nada legítima, todos os obstáculos que se colocarem entre si e o poder.

 

Costa é um estilo de Crash Bandicoot da política portuguesa...

link do postPor António Pinto, às 11:18  comentar

5.10.15

Ponto prévio: considero que estes resultados eram mais do que previsíveis. Partilhei esta visão em círculos próximos e chamaram-me tudo. 

 

Estou, porém, chocado (mais um que está chocado...) com o facto de o não serem para a mais bem oleada máquina da política portuguesa (porque constituída por vassalos que nunca fizeram mais nada na vida). É inacreditável a falta de ligação à terra que Costa revelou ao longo de toda a campanha. O programa que apresentou mas não conhece custou-lhe os eleitores à esquerda (que, à falta de melhor, depositaram languidamente a sua cruz no quadrado do Bloco de Esquerda, seguros da sua natural irrelevância), e o discurso mais radical, em busca do voto útil que já tinha perdido, custou-lhe o voto dos eleitores do centro que lhe poderia, de facto, dar a vitória nas eleições.

 

Costa foi, num primeiro momento, surpreendentemente ingénuo e, depois, apenas desesperado. Nunca, em momento algum, ofereceu uma alternativa ao português honesto que paga os seus impostos. E pagou por isso.

 

A pergunta do momento é: e agora? Diverti-me ontem com alguns patetas que alimentam a estapafúrdia esperança de se formar um governo que não inclui a força política mais votada. Não é surpreendente, tendo em consideração o longo histórico de assaltos ao poder e o desrespeito pelas mais elementares premissas da democracia que certas alas da esquerda sempre exibiram, com um orgulho que têm dificuldade em ocultar. Passos e Portas são bem capazes de gostar da ideia, cientes de que tal cenário lhes garantiria, num prazo mais curto do que longo, a mais confortável maioria absoluta alguma vez alcançada por uma força política em Portugal, isto se entretanto o rectângulo não se transformasse numa ditadura militarizada, ao bom estilo norte-coreano (pela minha parte, confesso, não aprecio os penteados).

 

Mas não é isto que vai acontecer. O laço já adorna o avantajado perímetro do pescoço de António Costa e só não se aperta já porque vêm aí as Presidenciais. O atrapalhado e profusamente transpirado líder socialista vê-se na contingência de viabilizar um governo proposto pela coligação (vai dizer uns disparates do tipo "eu influenciei aqui" ou "isto só foi feito porque eu exigi") até se abrir o alçapão do cadafalso (se tiver de apostar, digo que será pouco depois das Presidenciais que irão, seguramente, eleger um Presidente de direita, caso avance Marcelo ou Rio, por exemplo). Serão os quatro meses mais longos da vida do nosso bronzeado ex-edil... 

link do postPor António Pinto, às 09:55  comentar

Ai Costa, Costa... quer-me parecer que esse generoso lombo se prepara para uns açoites valentes no Rato...

link do postPor António Pinto, às 09:28  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO