A sério que sim
3.6.16

Centeno é um ministro socialista, não há dúvida. Lê-se hoje na primeira página do DN:

 

dn_20160603_marteladas.JPG

Ou seja, voltamos aos tempos em que eram feitos truques contabilísticos para maquilhar as contas desgovernadas. E se a Europa permitir isto, perderá toda e qualquer credibilidade que lhe restasse.

 

Adenda: quem é que ainda acredita que o défice, com CGD ou sem CGD, ficará minimamente perto dos 2,2%?

link do postPor João Sousa, às 07:36  comentar

9.4.16

O Expresso titula na sua primeira página que "Centeno usa medidas de Passos para travar défice". Claro, seguramente não seria com as medidas de Costa que Centeno travaria o défice...

tags:
link do postPor João Sousa, às 09:58  comentar

24.3.16

O título é um défice de 4,4% no ano passado. O subtítulo:

"Sem efeito do Banif, maior do que o esperado, défice seria 3% do PIB - o que poderia permitir saída de Portugal do procedimento por défice excessivo."

Talvez alguns comecem a perceber o porquê de enjorcar o caso BANIF.

link do postPor João Sousa, às 21:40  comentar

23.9.15

Pedro Nuno Santos, o tal da imagética rica e que queria deixar os credores com as pernas a tremer, vem dizer que a revisão em alta do défice do ano passado, consequência do registo da injecção de capital no Fundo de Resolução do Novo Banco, será uma "herança pesada" (ele que acha, portanto, que o défice de 11% deixado por Sócrates foi uma mera brisa em tarde de Verão).

 

Façamos de conta que acreditamos em Pedro Nuno Santos. Façamos de conta que não sabemos que o dinheiro que foi contabilizado no défice de 2014 é um empréstimo. Façamos de conta que não sabemos que, se o PS for governo e esse dinheiro regressar com juros, o PS irá dizer, tal como disse em Lisboa sobre os milhões de dívida camarária assumidos pelo Estado, serem as suas mágicas capacidades financeiras.

link do postPor João Sousa, às 19:53  comentar

23.1.15

O défice de 2014, ao que parece, fechou 655 milhões abaixo do previsto. Mas não temais: António Costa já aí vem para voltar a pôr as coisas nos eixos.

tags:
link do postPor João Sousa, às 18:32  comentar

28.2.13

Vitor Constâncio, governador do Banco de Portugal durante a orgia desenfreada de roubos do BPN, afirma que é "pertinente que Portugal tenha mais um ano para corrigir o défice orçamental".

 

Também será pertinente perguntar: qual o verdadeiro peso do BPN nesse défice?

 

Talvez Constâncio, que estava à frente da entidade reguladora quando tudo aconteceu, possa responder.

link do postPor António Pinto, às 12:18  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO