A sério que sim
15.3.17

Mais uma vez se torna evidente: para António Costa, a importância de uma medida não é o seu grau de eficácia - é a sua influência nas sondagens.

link do postPor João Sousa, às 08:08  comentar

21.2.17

Segundo leio no Público, a nova proposta de lei do Governo de "combate à discriminação racial e étnica e à xenofobia" tem esta particularidade:

Na proposta também está contemplada a questão do ónus da prova: sempre que se verifique um acto racista ou xenófobo, a vítima não tem necessidade de provar os critérios que os motivaram – ou seja, presume-se a intenção discriminatória, que pode ser rebatida nas entidades competentes.

Portanto, o alegado racista (acusado) é que tem de provar que não discriminou ou que não é racista. Esta Esquerda, que sempre se contorceu como um verme com qualquer coisa que lhe cheirasse a inversão do ónus da prova em casos de corrupção ou enriquecimento ilegal, acaba de o inverter para putativas discriminações.

link do postPor João Sousa, às 14:30  comentar

23.5.16

Os apologistas da geringonça, agora cansados com as manifs (pelos vistos, o direito à indignação tem limites impostos pela mediatriz política), acodem ao governo no assunto "ensino privado" com o argumento de que o Estado não deve ter gastos redundantes. Já o contribuinte que paga compulsivamente, quer usufrua dele quer não, o ensino público, pode ter gastos redundantes.

link do postPor João Sousa, às 15:38  comentar

19.4.16

O governo propõe-se reduzir, à experiência, o imposto sobre os combustíveis em alguns concelhos perto da fronteira com Espanha. Ainda não vi nenhum dos apoiantes desta traquitana em forma de governo argumentar com a (antes) tão querida constitucionalidade.

link do postPor João Sousa, às 11:27  comentar

3.3.16

Eu explico: gralha é escrever punto em vez de pinto, ou querer escrever passado e sair passdo, ou mesmo potra quando era porta o pretendido. Todas as "gralhas" e "erratas" que vêm sendo apostas ao Orçamento de Estado que, antes de o ser, já é o seu próprio Rectificativo, não são "gralhas": são incompetência na melhor das hipóteses - ou pulhice na pior. E dados os actores desta triste comédia, inclino-me para a segunda.

link do postPor João Sousa, às 11:06  comentar

17.2.16

Enquanto leu este post, o governo reviu por duas vezes as contas do Orçamento.

link do postPor João Sousa, às 12:26  comentar

4.2.16

Em Bruxelas, um horrorizado jornalista filmou clandestinamente o pequeno choque com a realidade que as negociações do orçamento representaram para C&C (Costa e Centeno, Centeno e Costa):

link do postPor João Sousa, às 21:43  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO