A sério que sim
21.7.17

Andam muitas vozes blogosféricas em polvorosa por causa de uma reportagem do Observador sobre carrinhas que foram usadas para recolher militantes nas eleições locais do PSD (aguardo semelhante dedicação jornalística em eleições locais do PS). É revelador que as mesmas vozes, blogosféricas e jornalísticas, se silenciem perante cortejos de autocarros fretados pelos sindicatos por ocasião de certas manifestações.

link do postPor João Sousa, às 12:58  comentar

8.7.17

capas do dn e expresso de 08/07/2017

Alguém imagina ser coincidência que o DN (propriedade do grupo administrado pela eminência parda do regime Proença de Carvalho) e o Expresso (propriedade do grupo administrado por outro omnipresente do regime de nome Pinto Balsemão) publiquem, no mesmo dia, entrevistas a A.S.S.?

link do postPor João Sousa, às 12:34  comentar

4.7.17

O Observador, por norma um dos poucos locais de jornalismo ainda razoavelmente asseados, titula: "Ativista que pediu demissão de Passos Coelho vai mesmo pagar 1.440 euros de multa". Logo a seguir, o mesmo jornal subtitula em repetição: "Ana Nicolau vai ter mesmo de pagar a multa de 1.440 euros por ter pedido a demissão de Passos Coelho". Todo o texto que se segue é um tempo de antena da condenada, muito orgulhosa do que fez (e não tenho nada contra isso, cada um é como é).

 

Acontece que Rita Porto, a jornalista responsável pela "notícia", devia ter feito alguma pesquisa prévia antes de asnear. Por outras palavras, fazer jornalismo. Se o tivesse feito, por exemplo lendo esta outra notícia linkada no seu texto, saberia que a activista foi condenada por "perturbação de funcionamento de órgão constitucional", não por ter pedido a demissão de Passos Coelho. Ou seja, foi julgada pelo LOCAL onde fez o seu protesto - não pelo teor do seu protesto. Como disse o juiz que leu a sentença original, "o que a sociedade não pode permitir é que essa atuação se faça dentro da Assembleia da República".

 

Mas isto seria pedir demasiado ao jornalismo que temos.

link do postPor João Sousa, às 13:11  comentar

17.2.17

O Público titula que "Ambiente falhou medição de enxofre no ar em Setúbal" a propósito do incêndio na Sapec Agro que libertou vastas quantidades de dióxido de enxofre. Fosse há um par de anos e o título seria algo do género "Cortes orçamentais deixam viatura avariada incapaz de medir enxofre no ar em Setúbal". Mas talvez seja cinismo meu. Talvez isto não seja mais do que seriedade na linha editorial agora que David Diniz está ao leme.

link do postPor João Sousa, às 09:04  comentar

25.8.16

público de 18/08/2016

Faz hoje uma semana, o Público bradou, com voz grossa e indignada, que PSD e CDS pagaram, entre os dois, 475 mil euros a um especialista em comunicação política para a campanha das últimas legislativas. Logo a seguir, o Público surrurrou timidamente, decerto para não acordar o menino que dormia, que o PS pagou 751 mil euros (58% mais) a um militante para lhe decorar as salas de campanha.

 

Pergunto hoje o que já perguntei mil vezes antes: para que sustenta a Sonae esta triste sombra de jornalismo?

link do postPor João Sousa, às 21:19  ver comentários (2) comentar

1.6.16

Bárbara Reis deixa a direcção do Público. A ver se, finalmente, o Público volta a ser um jornal - em vez de um panfleto.

link do postPor João Sousa, às 08:02  comentar

16.3.16

rr_lula_ministro.png

O título da Rádio Renascença não é inteiramente correcto: Lula não virou ministro mesmo suspeito de corrupção - Lula virou ministro por ser suspeito de corrupção.

link do postPor João Sousa, às 18:12  comentar

10.3.16

Arons de Carvalho, constante socialista e vice-presidente da ERC (nomeado, já agora, durante o anterior governo PSD), conversa com Sócrates, em privado, sobre o processo deste contra o Correio da Manhã e chega a fornecer-lhe elementos da defesa do jornal. Ninguém se demite, ninguém é demitido, ninguém é processado, ninguém sequer leva uma palmatoada na mão? Onde estão os jornalistas sempre tão pressurosos pela pureza da sua classe - quando o interveniente é da direita?

link do postPor João Sousa, às 10:51  comentar

7.2.16

Algo de errado se passa com o meu browser: eu escrevo publico.pt no endereço mas ele insiste em encaminhar-me para o Acção Socialista.

link do postPor João Sousa, às 19:51  ver comentários (1) comentar

2.2.16

O editorial de hoje do Público mostra um jornal que já foi de referência a estatelar-se no chão - e continuar a escavar. Escrito num linguajar que não destoaria na página web do Bloco de Esquerda (ou num blogue de João Galamba), afirma que Bruxelas tem uma "agenda autista" e que os credores, membros da troika, "escrevem uma coisa e fazem outra, como inimputáveis em permanente risco de surto psicótico". Mas o auge do delírio é o magnífico parágrafo final:

É fundamental que Bruxelas perceba que a vontade dos portugueses conta e que há um antes e um depois de 4 de Outubro de 2015. Um Governo que não faça valer a sua legitimação nas urnas não está só a defraudar os eleitores, mas a contribuir também para a criação de uma caricatura da própria democracia. Mas quem se quer fazer respeitar e ouvir não pode enviar sinais errados. As 35 horas e a reintrodução dos feriados são mesmo prioridades?

O Público quer que "Bruxelas perceba que a vontade dos portugueses conta" - quando o próprio governo que temos resulta de a vontade dos portugueses não ter sido levada em conta. O Público afirma que "Um governo que não faça valer a sua legitimação nas urnas" (está, suponho, a falar do governo de Costa cuja legitimidade resulta de ter sido derrotado nas urnas) "não está só a defraudar os eleitores" (está, suponho, a falar do governo de Costa cuja existência defrauda os eleitores) "mas a contribuir também para a criação de uma caricatura da própria democracia." (está, suponho, a falar do governo de Costa cuja criação, depois de pesadamente derrotado nas urnas, resulta de uma visão caricatural da democracia).

 

Eu continuo a não compreender a relação que Belmiro de Azevedo tem para com o Público. 

link do postPor João Sousa, às 21:18  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO