A sério que sim
24.1.16

Paulo Portas diz umas coisas vaguíssimas - e a CNE salta logo em defesa dos inocentes eleitores. O velho Soares-pai-do-filho, numas antigas autárquicas, apelou explicitamente ao voto no jovem Soares-filho-do-pai - e a CNE limitou-se a fazer beicinho. Nas últimas legislativas António Costa apelou, de forma bastante implícita, ao voto no seu partido - e a CNE fez de conta que estava a ver as horas.

 

A CNE, como se vê, é muito vigilante - quando lhe apetece.

link do postPor João Sousa, às 18:03  comentar

22.1.16

chess_all_pawns.png

 Ponto prévio: discordo em absoluto da atribuição de subvenções vitalícias à nossa deputação. Não tenho, por isso, qualquer espécie de simpatia pelos beneficiários desta decisão do Tribunal Constitucional.

 

Já no passado referi aqui que, mais do que o timing da revelação, por vezes importa-me mais o timing da espera. Veja-se a recente e polémica decisão do Tribunal Constitucional: o pedido de fiscalização terá entrado em 23 de Janeiro de 2015 - fará amanhã um ano! Ora o TC, tendo já disposto de quase um ano para tomar uma decisão, deitou-a cá para fora - a dias das presidenciais, precisamente numa altura em que causaria dano máximo a uma das candidaturas que, por curiosíssima coincidência, é aquela que mais comichão causa ao corpo dirigente socialista.

 

Mas já diz o povo: amor com amor se paga. Convém não esquecermos que Maria de Belém, com tanto tempo à disposição, escolheu pré-anunciar a sua candidatura precisamente no dia em que António Costa dava uma entrevista na televisão.

 

Nós sabemos que Costa, e as irmandades que pressentimos patrociná-lo, não são gente que deixe os seus rancores a macerar ad aeternum. Aquilo que preocupa é pensar que o TC, ou pelo menos algum ou alguns dos seus elementos, aceitem instrumentalizar este organismo para participar em vingançazinhas alheias.

link do postPor João Sousa, às 10:31  comentar

21.1.16

Digam lá se a simples possibilidade de algo assim não vos tenta a votar Tino no próximo Domingo?

 

tino_putin4.jpg
Os presidentes de Portugal e da Rússia chegaram a acordo para coordenar acções
militares conjuntas contra o Estado Islâmico (fotografia tirada em Outubro
quando os líderes se encontraram para discutir a situação na Ucrânia)

 

link do postPor João Sousa, às 10:30  comentar

15.1.16

Começo por afirmar, sob pena de crucificação, que simpatizo com a figura de Marcelo Rebelo de Sousa. É diferente de afirmar que considero ter o perfil ideal para Presidente da República, mas simpatizo com a figura.

 

Estas eleições presidenciais são diferentes de todas as anteriores. O perfilamento de figuras caricatas que se propõem, à esquerda, ocupar o Palácio de Belém sugere um desrespeito indigno pelo cargo maior da democraca portuguesa. Do vácuo confrangedor de Sampaio da Nóvoa à mimadice birrenta da pequena burguesa Marisa Matias, safam-se Vitorino Silva, o calceteiro Tino, o único preocupado em apresentar ideias, mantendo um discurso coerente e Henrique Neto, um homem aparentemente sério, embora politicamente seja pouco mais do que um arredondamento.

 

Todo o restante visco tem apenas uma preocupação em mente: atacar Marcelo. Ataques pessoais, vis, mesquinhos, que dizem mais sobre quem os profere do que sobre o seu objecto. Da hiperactividade aos apoios políticos do pai de Marcelo, ouvimos um pouco de tudo. Sempre num registo raso e desprezível, característico desta esquerda que engoliu o garfo e se sente novamente legitimada para rotular de fascistas todos aqueles que não se revêem nesta mole imunda de gente empenhada em incendiar Portugal, para depois fazer nascer das cinzas uma deformidade vermelha aberrante, que tão bons resultados tem alcançado noutras latitudes.

 

Esta será, e é triste dizê-lo, a principal razão pela qual votarei em Marcelo Rebelo de Sousa. Apraz-me ter a garantia de que, pelo menos, no final do seu mandato, a cadeira onde se senta no Palácio de Belém estará razoavelmente limpa.

link do postPor António Pinto, às 10:11  comentar

9.1.16

O pequenino César dos Açores revelou o segredo menos escondido desde os seios de Cicciolina: que dá o seu apoio "pessoal" ao inexplicável Sampaio da Nóvoa. Afirma também que o PS "faz muito bem em não ter uma posição oficial de apoio a qualquer dos candidatos". Fui dar uma olhada aos mandatários e apoiantes "pessoais" de Nóvoa. Só para citar alguns:


Correia de Campos
Gabriela Canavilhas
Isabel Moreira
Rui Vieira Nery
Rosa Mota
Carlos Lopes
Miguel Vale de Almeida
Lídia Jorge
António Pedro Vasconcelos
António Arnaut
Ana Gomes (deixou de ser altura de Portugal ter uma mulher presidente?)
Mário Soares
Jorge Sampaio
Augusto Santos Silva
Edite Estrela
Inês de Medeiros
João Galamba
Jorge Lacão
Vieira da Silva
Capoulas Santos
João Cravinho
José Carlos de Vasconcelos
(e etc, etc, etc...)

 

Esta lista de horror[es] que apoia[m], a "título pessoal", o enevoado Nóvoa, mais não é que o PS histórico, o PS institucional e o habitual ramalhete de "independentes" eternamente pendurados na lapela do PS estatal. Mas que não haja dúvidas: o PS não tem posição oficial sobre os candidatos.

link do postPor João Sousa, às 19:25  comentar

28.12.15

Marcelo Rebelo de Sousa acha um escândalo que candidatos gastem centenas de milhar de euros nas campanhas presidenciais. Outras pessoas talvez achem um escândalo que um candidato ganhe centenas de milhar de euros numa campanha presidencial que atravessou longos anos e saltitou entre canais televisivos.

link do postPor João Sousa, às 21:54  comentar

15.7.15

O apoio de Ramalho Eanes a Sampaio da Nóvoa não abona a favor deste - apenas desabona Ramalho Eanes.

link do postPor João Sousa, às 22:19  comentar

7.5.15

Algumas pessoas questionam-se o porquê de o PS ter avançado, ainda por cima em fase tão precoce, com um desconhecido como Sampaio da Nóvoa para a presidência. Eu tenho uma teoria.

 

Na década de 90, Mansell foi campeão de Fórmula 1 na Williams - e saiu no final desse ano. Prost foi campeão na Williams - e saiu no final desse ano. Damon Hill foi campeão na Williams - e saiu no final desse ano. Comentava-se que isto era a forma de a Williams, na altura uma força dominante na Fórmula 1, mostrar que podia fazer qualquer um campeão - e por isso nem se preocupar em segurar aqueles que o foram.

 

A candidatura de Sampaio da Nóvoa parece ser algo semelhante. Isto é apenas o PS, na sua habitual arrogância, a considerar a Presidência da República como propriedade sua - e a mostrar que conseguirá lá colocar qualquer palerma que se preste a ser útil.

link do postPor João Sousa, às 12:37  comentar

3.5.15

Há pouco, ouvi Daniel Oliveira dizer - sem ter sequer a delicadeza de corar - que "Sampaio da Nóvoa tem um percurso político". Felizmente, porque a insanidade ainda não chegou a tanto, todos os seus companheiros n'O Eixo Do Mal se riram na sua cara.


Não sei se isto serve para estatística, mas aqui vai: no meu último almoço em família, faz hoje um par de semanas, perguntei quem já tinha ouvido falar em Sampaio da Nóvoa. Ninguém se acusou. Isto dirá alguma coisa sobre o tal percurso político. Talvez o tenha feito, sim, mas devagarinho e por estradas secundárias - para fugir aos radares da polícia.

link do postPor João Sousa, às 10:29  comentar

2.5.15

Sampaio da Nóvoa avança para Belém "inspirado em Soares e Sampaio". O proto-candidato vê neles "um legado de liberdade e uma herança que temos a obrigação de honrar e de renovar". Sim: Soares, o cavalheiro que passou um mandato a fazer campanha contra o Governo de Cavaco Silva ("o gajo") e não descansou enquanto não viu o seu PS no governo; Sampaio, o cavalheiro que geriu a sua agenda e arranjou uns pretextos manhosos para deitar abaixo um governo maioritário, só descansando quando viu o seu PS no governo. Soares deu-nos Guterres; Sampaio deu-nos Sócrates; Sampaio da Nóvoa quer-nos dar António Costa.

 

Talvez seja a isto que se costuma chamar "pesadas heranças".

link do postPor João Sousa, às 08:44  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO