A sério que sim
30.5.13

 

Surge hoje a notícia de que a União Europeia vai investigar Passos Coelho, Relvas e a Tecnoforma, tudo motivado por uma queixa de Ana Gomes.

 

Ponto prévio: concordo com o apuramento de responsabilidades em processos menos claros, independentemente do quadrante político dos intervenientes.

 

Posto isto, parece-me irónico que a queixa tenha partido desta máscula eurodeputada. Ana Gomes esteve com a sua frondosa queixada bem presente enquanto o ex-querido líder, agora reduzido à condição de comentadeiro da estação pública, e respectivos apaniguados transformavam Portugal num tipo de faroeste sem lei. Apesar de fazer parte de um tipo de oposição interna ao sultanato de Sócrates no PS e de ter sido comparada a um "rottweiler à solta" por um dos elementos do seu gabinete, não consta que tenha sido levantada qualquer investigação a Sócrates por iniciativa da senhora.

 

Numa outra perspectiva, finalmente surge uma notícia acerca de Relvas após a sua saída do Governo. Todo este silêncio mediático poderia levar uma qualquer mente paranóica a assumir que houve uma acção concertada para o afastar. Longe de nós pensar que algo deste género se pode passar aqui no rectângulo.

 

link do postPor António Pinto, às 12:15  comentar

6.5.13

Alguém sabe o que anda o homem a fazer? É que desde que apresentou a demissão, o chorrilho de notícias sobre Relvas cessou, como que por magia...

tags:
link do postPor António Pinto, às 16:13  ver comentários (1) comentar

4.4.13

Relvas saiu do Governo. Não faz falta. Foi, desde o início, um espinho cravado na credibilidade que se exige a um Governo em funções numa fase tão delicada da história do País. Faltou-lhe, também, a coragem de lidar com alguns dossiers com a dureza que era necessária. O monstro chamado RTP e os caciques municipais são disto óptimos exemplos. Acobardou-se e sai pela porta pequena.

 

Também sai, ao que parece, sem a licenciatura. Será que o mesmo vai suceder ao novo comentador-estrela da RTP, ou facto de ter ordenado o encerramento da Universidade vai trazer os seus dividendos?

link do postPor António Pinto, às 17:56  ver comentários (1) comentar

21.3.13

Trata-se de fogo amigo de Relvas ou este povo sofre mesmo de Síndrome de Estocolmo? Onde estão as plataformas, movimentos cívicos e agremiações igualmente "apolíticas"?

link do postPor António Pinto, às 11:37  comentar

18.7.12

Mário "Ramsés" Soares voltou a atacar.

 

Desta vez para dizer que a licenciatura de Miguel Relvas não era concebível para uma pessoa de bem. Soares, porventura esquecido da licenciatura dominical do anjo Sócrates e do silêncio cúmplice ao qual se remeteu quando o caso foi ventilado, vem agora falar como se o passado nunca tivesse existido. Ah... como seria bom para o cidadão Soares que as suas acrobacias (também elas angelicais?) fossem esquecidas no fundo baú do tempo!

 

A hipocrisia e a soberba dos velhos de esquerda inundou, esta semana, os holofotes dos media, com dois protagonistas improváveis a actuar, lado a lado: Soares e Januário. Vieram falar de corrupção e diabruras.

 

Cada um com a sua especialidade.

link do postPor António Pinto, às 15:38  comentar

17.7.12

A enorme manifestação anti-Relvas, que nasceu nas redes sociais e que, pelos vistos, por lá se ficou, juntou apenas 500 revolucionários. Dos mais de 3 mil que haviam confirmado a sua presença via Facebook, cerca de 2500 não chegou a perceber que o ajuntamento iria ocorrer fora do mundo virtual. 

 

Este mega-movimento, gerado por quem não tem nada que fazer e alimentado por interesses jornalísticos com quem Relvas ousou meter-se, foi uma montanha que pariu um rato. Fico satisfeito, não por nutrir particular simpatia por Miguel Relvas, mas por verificar que a estratégia dos media de tentar derrubar uma figura, seja ela qual for, através do enxovalho barato e à custa desse enorme guarda-chuva chamado jornalismo de investigação, não pega por estas bandas. Gostava que me esclarecessem: quem faz isto é melhor do que Relvas?

 

A manifestação convocada por Miguel Gonçalves Mendes (o realizador do documentário acerca de Saramago e da mulher que lhe escrevia os livros, Pilar), claramente apartidária, pois claro, foi tratada pelo comum dos mortais com a vénia do desprezo. Esteve lá, no entanto, Manuela Moura Guedes, seguramente saudosa dos tempos de liberdade de expressão do sultanato socrático.

link do postPor António Pinto, às 12:17  comentar

6.6.12

Entretanto, a Visão online, também pertencente ao universo de Balsemão, di-lo - mas sem direito a fotografia.

 

O título é esclarecedor: "Ex-empresa de Relvas sob suspeita"

 

O resumo é reforçador: "A Finertec, empresa que Miguel Relvas administrou, até Maio do ano passado, foi investigada na Operação Furacão".

 

Enterrado no meio do artigo: "Os factos em investigação remontam a 2006, dois anos antes da entrada em funções de Miguel Relvas".

 

Uma bela guerrinha, esta que Relvas arranjou.

link do postPor João Sousa, às 19:00  comentar

O Expresso online noticia gulosamente que a Finertec, empresa que Miguel Relvas administrou durante algum tempo, foi investigada por fraude e evasão fiscal. É certo que não diz se os factos suspeitos se passaram durante a administração de Relvas - o que é um pequenino detalhe.

 

Mas aquilo que verdadeiramente me chamou a atenção para o artigo foi a foto que o ilustra: Miguel Relvas ao telefone com cara de mau.

A subtileza desta escolha editorial...

link do postPor João Sousa, às 18:38  comentar

30.5.12

Em grande medida, eu já desisti de encontrar sentido em toda esta novela Secretas/Relvas/Jorge-Silva-Carvalho/Ongoing. No meio da "informação" que é vertida copiosamente no espaço público, estou certo de haver desinformação em proporção semelhante. Aliás, todos estes dados formam um novelo tal que, provavelmente, a única instituição com ferramentas para a sua análise - é o SIS.

 

O largo exercício de hipocrisia, contudo, é daqueles que se vêm mostrar muito chocados por esta hipotética promiscuidade Secretas/Poder Político. Agem como se só agora isto existisse ou tivesse sido descoberto - quando um dos segredos mais mal guardados (e nunca seguidos) nas redacções dos jornais era o de que José Sócrates receberia, nas vésperas dos debates, relatórios das Secretas sobre os seus adversários de ocasião.

 

Já desde pelo menos o consulado socrático que reinava a convicção de que os serviços secretos teriam uma nova função na hierarquia estatal: a de super-assessoria política de alguns governantes. Na verdade, a única novidade que (cada vez mais) se parece aclarar com este episódio é a profundíssima influência que a Maçonaria consegue exercer nos círculos do poder. Sabia-se por intuição, sim - mas não me recordo de alguma vez presenciar tal desfile de nomes, datas e lojas.

link do postPor João Sousa, às 09:03  comentar

28.5.12

Temos assistido, nas últimas semanas, ao desenrolar da novela Relvas.

 

Desde o seu início, todo o tipo de personagens, algumas mais sinistras do que outras, têm passado pelos holofotes para dar a sua valorizada opinião. De Seguro a Marcelo, de Zorrinho a Louçã, de Jerónimo a Capucho, todos se têm mostrado extremamente interessados no assunto. Alguém que aterre agora no rectângulo ou alguém que tenha andado incrivelmente distraído nos últimos anos até pode pensar que episódios com secretas, tráfico de influências e outras acrobacias do género são caso virgem em terras lusitanas.

 

De facto, para que este bolo não fique sem cereja no topo, falta apenas aventar a opinião do Pinóquio e do Cardeal Richelieu da política portuguesa, Mário Soares.

link do postPor António Pinto, às 10:30  comentar


 
subscrever feeds
Statcounter
blogs SAPO